"Beleza, cultura, esporte, lazer, moda, negócios, e muito mais..."
Revista Destaque News
Instagram da Revista Destaque

Covid 19: teste PCR com material coletado na saliva é aliado no combate à pandemia

Publicado em 16/04/2021
compartilhe esta matéria:

Covid

 Indolor, rápido e seguro, o método já está disponível nas unidades do Grupo Sabin

e tem a mesma eficácia do RT-PCR que coleta material nas vias nasais

 
Na semana em que o Estado de São Paulo atinge índices ainda mais preocupantes
de Covid 19, o Grupo Sabin soma forças à batalha contra a pandemia e anuncia
uma novidade que pode ajudar a minimizar os impactos da crise sanitária.
O exame RT-PCR, com coleta apenas uma amostra da 2mL de saliva do paciente.
 
O exame feito em saliva tem aprovação das autoridades sanitárias e são fundamentais para
o diagnóstico mais rápido e preciso, o que contribui na redução de índices da doença. "Detectar
a presença do vírus em tempo ágil pode ser definitivo na decisão clínica de isolar o paciente e,
assim, evitar a propagação do vírus", explica o Médico Patologista Clínico e Gestor
do Grupo Sabin, Dr. Alex Galoro.
 
O especialista explica que no PCR em saliva é aplicada a mesma técnica do RT-PCR tradicional,
onde o material a ser analisado é recolhido por uma haste flexível nas narinas. "O teste RT-PCR
com coleta pela via nasal pode gerar algum desconforto em pacientes, principalmente idosos e
crianças e o teste feito na saliva surge como uma alternativa mais viável para este público", explica.
 
Simples, seguro e indolor, o exame entra para o portfólio do Grupo Sabin, que hoje conta com
mais de 3.500 serviços de saúde e já está disponível nas cidades de Franca, Ribeirão Preto,
São José dos Campos, Osasco e Campinas.
 
Para conhecer mais, acesse: https://www.sabin.com.br
Indicado para pacientes sintomáticos e assintomáticos, o exame não provoca desconforto
e pode ser realizado entre o 1º e 7º dia após o início dos sintomas. "Pacientes com
exposição comprovada ao vírus, por exemplo, devem esperar no mínimo 5 dias após
contato com um possível infectado". O médico orienta também que para o exame não há
nenhum indicativo de preparo prévio, como jejum.
Fonte: Viviane Melém - FSB Comunicação

<< voltar